ANÁLISE DE LIVROS: FUVEST

Para entender Sagarana: O Burrinho Pedrês

2019-10-11T20:37:27-02:00

O Burrinho Pedrês é um conto fundamental para um leitor adulto. Aliás, Guimarães Rosa não é muito apropriado para um leitor muito jovem, porque para entendê-lo não basta ter um bom repertório de leitura, deve-se ter, antes de tudo, experiência de vida. Mas a Fuvest não leva isso em conta, nunca levou. Trata-se de um livro bastante difícil. Isso porque o universo de Guimarães Rosa é absolutamente particular, não só na sua maneira de entender a vida, como na linguagem que acaba criando para expressá-la. Trata-se de um português com estilo original, muito próximo da oralidade, segundo ele, aprendido após semanas [...]

Para entender Sagarana: O Burrinho Pedrês2019-10-11T20:37:27-02:00

Entendendo Angústia

2019-10-01T05:44:51-02:00

Graciliano Ramos Fuvest 2020 Trata-se de um livro de memórias. A história começa com o narrador, protagonista e onisciente, de pé, após convalescença decorrente de uma crise de nervos, como se chamava àquela época. É um grande monólogo interior, ou seja, narrado em primeira pessoa, desse modo, o leitor passa o tempo todo dentro da cabeça do narrador. Nessa conversa consigo mesmo há expressa muita culpa e muita mágoa da vida através da mente de um personagem atormentado por traumas de infância e fantasmas interiores que afloram sob a forma de uma perversidade crônica aplicada às pessoas que o rodeiam e [...]

Entendendo Angústia2019-10-01T05:44:51-02:00

Entendendo Sagarana: A Hora e a vez de Augusto Matraga

2019-10-11T20:39:55-02:00

Uma das características mais marcantes da obra de Guimarães Rosa é escrever em prosa poética e com ela murmurar no ouvido do leitor através de devaneios inconscientes, fazendo-se uso de metáforas estranhíssimas para definir o real e o fictício, para separar o fato da imaginação. Percebe-se que quanto mais próxima da dureza e da liberdade do sertão, mais a vida navega sem muito controle, intimamente ligada aos transtornos da natureza com suas picadas, chuvas ou sol excessivos, pedras, calor, espinho, sede, rio, cavalo, homem, morte, vingança, honra... A palavra jorra como um rio, cheio de meneios, curvas, oscilações, um cerimonioso e [...]

Entendendo Sagarana: A Hora e a vez de Augusto Matraga2019-10-11T20:39:55-02:00